segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Resenha: livro "Tentação ao Pôr do Sol", Lisa Kleypas (Os Hathaways 3)

 Olá pessoal, tudo bem? Hoje trago mais uma resenha da série de romances de época Os Hathaways. Já resenhei o livro 1 (Amélia e Cam), o livro 2 (Win e Merripen) e o conto Casamento Hathaway, hoje venho falar sobre o livro 3, "Tentação ao Pôr do Sol", que vai contar a história da Poppy, e que creio que tenha sido o livro onde a autora mais se arriscou, lendo a resenha vocês entenderão o motivo.

Resenha, livro, Tentação ao Pôr do Sol, Lisa Kleypas, Os Hathaways 3, Arqueiro, romance-de-época
Foto: Mademoiselle Loves Books

 Poppy era uma jovem que queria se casar, mas já estava em sua terceira temporada de eventos sociais e ainda não havia conseguido um pretendente, bem, ela havia conseguido um admirador, mas o fato de a família Hathaway ser um pouco excêntrica (suas duas irmãs mais velhas haviam se casado com ciganos, sua irmã caçula era louca por animais, seu irmão, o visconde, não tinha uma fama muito boa) não ajudava muito para que o pai de seu admirador permitisse o relacionamento.

 Perseguindo o furão, um dos bichinhos de estimação de Beatrix, sua irmã caçula, Poppy acabou dando de cara em Harry Rutledge, o misterioso e recluso proprietário do hotel Hotel Rutledge onde a família Hathaway se hospedava. Quando Harry conheceu Poppy, ficou encantado por ela e decidiu que a queria para si, independente dos meios que tivesse que usar para isso.

 Poppy era uma jovem romântica, que sonhava em levar uma vida tranquila ao lado do marido e filhos. Harry não procurava por amor, aliás, ele nem sabia ao certo o que era isso, Harry traçava seus objetivos e os alcançava como pudesse, simples assim. E se casar com Poppy era seu objetivo no momento, e ele conseguiria isso, livrando-se de seu oponente de forma não muito justa. Por isso eu disse que a autora se arriscou um pouco mais no livro, criando um protagonista que não era o herói, mas sim um anti-herói, capaz de qualquer coisa para conseguir o que queria. Quando vi algumas atitudes de Harry, fiquei em dúvida se a autora conseguiria conduzir a história rumo a redenção dele e a um final feliz para o casal, e ela conseguiu!

 "Ela era cada impulso de bondade, altruísmo e generosidade que ele jamais teria. Ela era cada pensamento atencioso, cada gesto amoroso, cada momento de felicidade que nunca conheceria. Era cada noite de sono tranquilo que jamais poderia ter. Pelas leis de equilíbrio do Universo, Poppy havia sido posta no mundo para compensar Harry e sua maldade. E era por isso, provavelmente, que se sentia tão irresistivelmente atraído por ela: como duas forças magnéticas opostas."

 Assim como o Merripen do livro anterior, Harry teve uma infância difícil, mas com Harry as coisas foram mais sutis. Merripen era reservado, Harry era frio. Merripen descobriu o que era o amor e o afeto ao ser acolhido pela família Hathaway, Harry não teve essa oportunidade, sem o amor de uma família, o hotel passou a ser a sua vida, os funcionários eram as pessoas mais próximas dele, mas ele não deixava que se aproximassem o suficiente para substituírem ao menos um pouco a sua carência afetiva.

 "Havia se apaixonado por um príncipe, mas acabara nos braços de um vilão. E seria tudo mais fácil se continuasse vendo a situação nesses termos simplistas. Porém seu príncipe não chegava nem perto de ser perfeito como parecia... e o vilão era um homem atencioso, de sentimentos intensos."

 Quando Poppy entrou na vida de Harry e começou a conviver com ele foi que as coisas mudaram, por mais que ele pudesse oferecer todas as riquezas do mundo para ela, não era isso o que Poppy, uma jovem que cresceu em uma família amorosa, realmente precisava. E um casamento que começou de forma errada teria um longo caminho para que pudesse dar certo. No fim:

 "- A princesa salva o vilão - sussurrou. - É uma bela variação da história."

 Enfim, eu gostei de "Tentação ao Pôr do Sol", como li a série fora de ordem, ele foi o último a ser lido. Os personagens foram intensos e bem construídos; os personagens secundários, principalmente os funcionários do hotel, tentaram dar uma forcinha para que o casal principal se acertasse e renderam ótima cenas. Conhecemos melhor a Srta. Catherine Marks, a governanta dos Hathaways, e descobrimos qual a sua misteriosa relação com Harry Rutledge (só nós, porque o Leo ainda está curiosíssimo para descobrir, e tem uma parte da história que ainda não foi contada). Aliás, o Leo e a caçula Beatrix, como sempre, contribuíram para as maravilhosas cenas engraçadas da trama. Recomendo, especialmente para quem gosta de livros com anti-heróis!

 "- Não se pode morrer uma dúzia de vezes.
 - Pode, se você for budista – argumentou Beatrix, prestativa.
 Leo afagou os cabelos brilhantes de Poppy.
 - Espero que Harry Rutledge seja – disse.
 - Por quê? – perguntou Beatrix.
 - Porque não há nada que eu queira mais que matá-lo várias vezes."

 Detalhes: 272 páginas, ISBN-13: 9788580412345, ano: 2014, Skoob, leia um trecho. Onde compra online: Submarino.

1 - Desejo à Meia-Noite (Amélia)
2,5 - Casamento Hathaway (conto que pode ser baixado gratuitamente na Amazon)
3 - Tentação ao Pôr do Sol (Poppy)
4 - Manhã de Núpcias (Leo)
5 - Paixão ao Entardecer (Beatrix)

 Essa semana teremos a próxima resenha da série, aguardem.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Resenha: livro "Memórias de Ellie White", Daniel Almeida

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Memórias de Ellie White", escrito pelo Daniel Almeida e publicado pela Editora Selo Jovem em 2015.

Resenha, livro, Memórias de Ellie White, Daniel Almeida, Selo Jovem

 No mês passado, contei para vocês que o blog agora é parceiro da Editora Selo Jovem. Recebi um e-mail com os títulos e sinopses dos livros disponíveis para solicitação dos blogs parceiros para resenha e, inicialmente, eu queria solicitar outra obra da qual já havia visto comentários favoráveis, mas aí fui lendo as sinopses e quando li a de "Memórias de Ellie White", decidi que era ele que eu queria ler, pois me pareceu ter um toque de sick lit, gênero que gosto bastante.

 Na história conheceremos Ellie White, uma jovem que sofreu um acidente que a deixou com lesões no cérebro que poderiam fazer com que ela perdesse a memória de repente ou até mesmo morresse.

 "Eu não estava com medo, eu estava deixando de me preocupar. Era só deixar a vida continuar. Era como se eu estivesse normal, não havia uma sequela. Eu tive muita sorte, mal consigo entender como ainda estou viva." (página 24)

 Por ser filha única, criada apenas pela mãe, e com o risco da perda de memória, Ellie era super protegida pela mãe e vivia uma vida monótona, até que conheceu Tyler.

 O rapaz entrou na vida de Ellie e a partir daí tudo mudou, com ele ela descobriu o que era viver de verdade, e não apenas ver os dias passarem. Ainda assim, ela tinha seus problemas de saúde, que não sumiriam magicamente.

 "- Eu te amo tanto Tyler. Você mudou minha vida, você trouxe vida para a minha vida, você me fez parar de apenas sobreviver, você faz-me viva." (página 188)

 O autor de "Memórias de Ellie White" merece os parabéns por, com apenas 17 anos, já ter escrito e publicado um livro, só quem já tentou escrever um sabe o quanto isso é difícil (eu estou tentando e ainda não consegui sair do primeiro capítulo).

 Acabei demorando um pouco mais para finalizar a leitura de "Memórias de Ellie White" do que esperava e a obra foi por um caminho diferente das minhas expectativas. A premissa do livro é bem interessante, mas exigia para seu completo desenvolvimento um pouco mais de maturidade e vivência do que a que a maioria de nós tem aos 17 anos. A juventude do autor fica evidente na trama e talvez se eu tivesse a mesma idade que ele ou seus personagens, pudesse ter me envolvido mais.

 Repito que a premissa é boa, mas a narração em primeira pessoa, tão centrada nos protagonistas, talvez não tenha sido a melhor opção já que os acontecimentos nas vidas de personagens secundários não tiveram um aprofundamento maior. Uma revisão mais cuidadosa também poderia contribuir para uma melhor lapidação da trama, falando em lapidação, se tivesse que comparar "Memórias de Ellie White" com alguma coisa, compararia com uma pedra preciosa bruta: tem seu valor, mas pode valer muito mais quando lapidada. Creio que com o tempo, o autor possa ir amadurecendo sua escrita e, certamente, poderá contar outras histórias, um primeiro e grande passo já foi dado.

 "- O que você fez para que eu te amasse?
 - Eu a amei." (página 157)

Resenha, livro, Memórias de Ellie White, Daniel Almeida, Selo Jovem, capa, opinião
Resenha, livro, Memórias de Ellie White, Daniel Almeida, Selo Jovem, capa, opinião, sinopse
Resenha, livro, Memórias de Ellie White, Daniel Almeida, Selo Jovem, capa, opinião, diagramação

 Sobre a parte visual: a capa é bonita, as letras, as margens e o espaçamento tem um bom tamanho, as páginas são amareladas e tem uma textura porosa.

 Detalhes: 240 páginas, ISBN-13: 9788566701470, Skoobpágina no Facebookcompre na loja da editora.

 Por hoje é só, alguém aí já conhecia o livro?

 - Participe do sorteio da Trilogia A Caverna Cristalina.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Resenha: livro “Demian”, Hermann Hesse

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é “Demian”, escrito pelo alemão Hermann Hesse. Publicado inicialmente em 1919, há quase cem anos, a edição que li é a quadragésima sexta, uma edição comemorativa do cinquentenário de lançamento da obra no Brasil lançada em 2015 pela Editora Record.

Resenha, livro, Demian, Hermann Hesse, trecho, Record, capa, opinião, quotes

 O fato de eu gostar de clássicos, o fato de ser do mesmo autor de "O lobo da estepe" (que eu não li, mas é um título do qual já ouvi falar) e essa capa linda e colorida me fizeram querer ler “Demian”, que foi uma leitura rápida (li no último final de semana) e agradável até certo ponto.

 “Demian” é narrado em primeira pessoa por Sinclair, que começa sua história nos contando sobre quando tinha 10 anos e se meteu numa encrenca, experimentando pela primeira vez aquela sensação de ter que resolver a situação sozinho, sem recorrer aos pais, e ficando a mercê das chantagens de Franz Kromer, um garoto que era um pouco maior que ele. Antes disso, Sinclair era uma criança feliz e via o mundo como se fosse dividido em dois: um bonito (representando pela proteção de seus pais) e outro sombrio (representado pelas coisas perigosas e ilícitas). Até então, Sinclair vivia na parte boa do mundo, depois das chantagens, passou a viver atormentado na parte sombria.

 "Em meus sonhos era como minha sombra, e me fazia sofrer com sua convivência obrigatória mais do que na própria realidade; minha imaginação onírica dava a Kromer meios de domínio superiores e minha escravidão era total. Acabei por viver nesses sonhos - sempre tive propensão a sonhar - mais do que na realidade, e aquelas sombras me roubaram energia e vida." (página 43)

 O pesadelo durou até que Sinclair conheceu Demian, um garoto novo na escola, mas que parecia diferente de todos os outros, e que apresentaria para Sinclair uma nova forma de ver a vida e o mundo.

 "Glorifica-se a Deus como o Pai de toda a vida, ao mesmo tempo que se oculta e se silencia a vida sexual, fonte e substrato da própria vida, declarando-a pecado e obra do Demônio." (página 73)

 Eu gostei bastante do início do livro, a leitura me parecia semelhante a aqueles livros que encontrava na biblioteca da escola e que lia quando adolescente, que traziam personagens com sentimentos tão comuns aos meus. Creio que muitos leitores se identifiquem com o protagonista, na questão de passar por um momento difícil quando se é criança ou adolescente, e ficar em dúvida se recorre ou não aos pais, ainda que a sede de aventura clame por tentar resolver a situação por si mesmo.

 Demian mostrou para Sinclair uma nova linha de pensamento, depois daí os capítulos seguintes foram se passando e a trama tomou um rumo mais filosófico, com a busca de Sinclair para compreender e desenvolver sua nova forma de ver o mundo. A adolescência de Sinclair acabou sendo apenas um pano de fundo para a trama, e se antes era possível ler rapidamente mesmo com o vocabulário um pouco mais elaborado, a partir daquele momento eu precisava ler com muita atenção, na esperança de que ainda houvesse algo que me motivasse a querer saber como terminaria a história. Ou seja: gostei do começo, por ter me entretido, mas o desenvolvimento da história foi muito mais para o lado filosófico abordando um tema cujos conceitos eu entendi, mas não me trouxe satisfação como leitura. Felizmente o livro é pequeno e consegui terminá-lo.

 Algumas vezes eu pesquiso um pouco mais sobre determinada obra, para ver se eu deixei passar alguma informação importante que se eu soubesse poderia ter me influenciado positivamente durante a leitura, mas com "Demian", mesmo lendo o posfácio e pesquisando um pouco sobre a história do livro, nada mudou.

 "Não somos uns porcos, como disse. Somo homens. Criamos deuses e lutamos com eles e eles nos abençoam." (página 138)

Resenha, livro, Demian, Hermann Hesse, trecho, Record, capa, opinião, sinopse

 Sobre a parte visual: a capa é realmente bonita, as páginas são amareladas, as margens, as letras e o espaçamento tem bom tamanho e a obra está bem revisada.

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu o livro ou alguma outra obra do autor?

 Detalhes: 196 páginas, ISBN-13: 9788501020291, Skoob (média de notas: 4,3/5, minha nota: 3/5). Onde compra online: Livraria CulturaTravessaSubmarino (edição antiga)Americanas (edição antiga).

 - Participe do sorteio da Trilogia A Caverna Cristalina.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Resenha: "Casamento Hathaway", Lisa Kleypas (Os Hathaways 2,5)

 Olá pessoal, tudo bem? Dando continuidade nas resenhas da série de romances de época Os Hathaways, da Lisa Kleypas, hoje trago a resenha de "Casamento Hathaway", o livro 2,5 da série, que contará como foi o cassamento de Kev Merripen e Win, já que no livro anterior onde conhecemos o romance deles, aconteceram tantas coisas que não tivemos detalhes do casamento.

Resenha, Casamento Hathaway, Lisa Kleypas, Os Hathaways 2,5, Arqueiro, conto, romance de época

 "- Você está achando que algo vai dar errado?
 - É claro. É um casamento da família Hathaway."

 "Casamento Hathaway" tem 52 páginas e foi lançado exclusivamente na versão digital, que pode ser baixada gratuitamente na Amazon. A história se passa em junho de 1851, em Hampshire, Inglaterra. Como se não bastasse todo o sofrimento pelo qual Kev Merripen teve que passar na infância, ou os anos em que Win sofreu com as consequências da escarlatina, parece que tudo resolveu conspirar contra eles num dos dias mais importantes de suas vidas: o dia do casamento dos dois.

 Merripen bem que havia visto muitos sinais que indicavam azar para o dia da cerimônia, mas Win achava que era apenas superstições do lado cigano de seu marido.

 O grande dia chegou, e com ele veio uma tempestade, um bando de parentes inesperados, uma igreja desaparecida (!) e até um elefante! Quem conhece a série, já deve imaginar por culpa de quem o elefante foi parar na história, né?! Beatrix, é claro!

 "Casamento Hathaway" é mais uma prova do enorme talento de Lisa Kleypas, que conseguiu colocar em uma história curta, toda a essência da família Hathaway. Mostrou Cam e Amélia formando uma dupla imbatível quando se trata de cuidar da família, trouxe o humor de Leo, falou sobre os sonhos de Poppy e a paixão de Beatrix pelos animais, a razão de sua vida, e reafirmou a determinação de Win e o amor sem medidas de Merripen.

 Humor, amor e confusões, um perfeito retrato da série e da família Hathaway! Amei!

 Detalhes: 52 páginas, ISBN: B00O2D5FVK, ano: 2014, Skoob, baixe na Amazon.

1 - Desejo à Meia-Noite (Amélia)
2,5 - Casamento Hathaway (conto que pode ser baixado gratuitamente na Amazon)
3 - Tentação ao Pôr do Sol (Poppy)
4 - Manhã de Núpcias (Leo)
5 - Paixão ao Entardecer (Beatrix)

 Semana que vem tem mais resenha da série, aguardem.


Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Resenha: livro "Sedução ao Amanhecer", Lisa Kleypas (Os Hathaways 2)

 Olá, pessoal, tudo bem? Na última segunda-feira, eu resenhei o primeiro livro da série "Os Hathaways""Desejo à Meia-Noite", no post de hoje vou resenhar o segundo, "Sedução ao Amanhecer". Escrita pela Lisa Kleypas e publicada no Brasil pela Editora Arqueiro entre 2013 e 2015, a série é composta por cinco livros e um conto e traz em cada volume o romance de um dos cinco irmãos (Amelia, Win, Poppy, Leo e Beatrix).

Foto: O blog da Mari

 No primeiro livro, acompanhamos a chegada da família Hathaway a sua nova propriedade herdada jundo com o título de nobreza e vimos Amelia e Cam se unindo. Em "Sedução ao amanhecer", vamos conhecer a história de Win. Dois anos antes, ela havia tido escarlatina, uma doença que lhe deixou com sequelas, tornado seu corpo frágil e lhe tirando a possibilidade de uma vida normal. Com o casamento de Cam e Amélia, sendo ele rico, eles decidiram enviar Win para um tratamento experimental na França. Leo, que havia decidido deixar seus hábitos autodestrutivos de lado, acompanharia a irmã.

 Win tinha o corpo frágil mas era forte e determinada por dentro. Era apaixonada por Kev Merripen, o cigano que fora acolhido "pela família Hathaway na infância, depois de ter sido ferido e abandonado para morrer em uma perseguição a ciganos". Ela estava decidida a se tratar, mesmo que tivesse que ficar longe de sua tão amada família, o desejo de melhorar e poder levar uma vida normal, se casar e ter filhos, era maior do que qualquer saudade; ainda que Merripen não demonstrasse seus sentimentos por ela, primeiro Win ficaria boa, depois faria com que ele se abrisse.

 "Não podiam ser mais diferentes, a moça loura, pálida e debilitada e o grande rom. Uma tão refinada e transcendental; o outro moreno, rústico, quase incivilizado. Mas a conexão estava ali, invisível porém inegável."

 No livro, voltamos ao passado e descobrimos como Merripen foi parar na família de Win. Ele foi um garoto criado sem amor e de forma cruel, até que ficou para trás quando o acampamento de sua tribo foi atacado por pessoas que não gostavam de ciganos. Ferido, Merripen teria morrido se o Sr. Hathaway não tivesse o encontrado e o levado para casa, ele cuidou do garoto até que suas feridas se cicatrizassem.

 Merripen poderia ter ido embora, mas havia sido abandonado por sua tribo e seria um solitário vagando pelo mundo. A família Hathaway ofereceu a ele um teto, e Merripen foi ficando, se surpreendendo com aquela família tão estranha, que aceitava um garoto cigano em casa e o tratava como um igual. Merripen não era um criado, embora cuidasse de aspectos práticos da casa com que os demais pareciam não se preocupar, mas também não permitia ser tratado como o segundo filho homem. O verdadeiro motivo para Merripen ter ficado foi Win, desde o primeiro instante em que ele ouviu sua voz, ele soube que sua vida estaria atrelada a ela para sempre.

 O tempo passou, o Sr. e a Sra. Hathaway morreram de forma abrupta. Veio a escarlatina, que transformou Win numa inválida e foi, em parte, a responsável pela degradação de Leo. Merripen e Amelia se tornaram os responsáveis pela família. Aí Amélia se casou, com um meio cigano que Merripen não suportava, e Win foi para longe, deixando apenas o vazio para Merripen.

 "Kev a amava. Não como descreviam os romancistas e poetas. Nada tão domesticado. Amava Win além da terra, do céu ou do inferno. Cada momento longe dela era agonia; cada momento com ela era a paz que jamais conhecera. Cada toque daquelas mãos nele lhe devorava a alma. Kev teria se matado antes de admitir tudo isso a alguém. A verdade estava enterrada fundo em seu coração."

 Dois anos depois, Win e Leo voltaram, ela curada, ele bem melhor do que antes. E eles não vieram sozinhos, o médico de Win, o Dr. Julian Harrow, veio com eles, ele era um viúvo e queria passar algum tempo com Win fora da clínica, para que se conhecessem melhor e talvez se casassem.

 Win admirava Julian, mas agora que estava curada, não via motivos para que Merripen não ficasse com ela, ele era um cigano, mas sua irmã também tinha se casado com um cigano, a menos que Merripen não a amasse. Se ele não a quisesse como esposa, ela seguiria sua vida, agora que podia ter uma, afinal, há um certo limite de foras que uma pessoa pode suportar levar.

 Como disse na resenha anterior, eu li primeiro os dois últimos livros da série, e depois de ver uma resenha de "Sedução ao Amanhecer", minha vontade de lê-lo e de completar a série ressurgiu. Gosto de romances com protagonistas que contrastem entre si, e gosto de histórias de amor que pareciam impossíveis. Gostei bastante da Win, ela poderia ter uma aparência frágil, mas era decidida e forte por dentro (quem já leu também achou maravilhosa aquela cena do guarda-roupa?). Até consegui entender todo o dilema pelo qual Merripen passava, não se sentindo digno de Win devido a seu passado cruel, mas confesso que tive vontade de entrar no livro e dar uns safanões nele para ver se ele parava de ser teimoso e aceitava a oportunidade de ser feliz de uma vez.

 "- Céus! - disse Leo com voz rouca. - Se tinha coragem para morrer com ela, não acha que poderia encontrar coragem para viver com ela?"

 Enfim, "Sedução ao Amanhecer" é tão bom quanto "Desejo à Meia-Noite", confesso que o primeiro me encantou mais por Cam ser um personagem tão querido, assim como Amélia, que continuam representando os alicerces da família no segundo livro (ver o Cam agindo como um pai e um irmão no segundo livro me fez gostar ainda mais dele), embora o segundo também tenha seus encantos, ao mostrar a devoção que Merripen sentia por Win e ao mostrar que a força interior e a determinação de uma pessoa não dependem da força física dela.

 No segundo livro, descobrimos a ligação que existe entre o passado de Cam e Kev, e que foi uma surpresa para mim em certo ponto, e chega uma nova personagem na trama, Srta. Marks, a nova governanta contratada para ajudar a família, especialmente as irmãs mais novas, a aprenderem as regras da sociedade. Foi bom ver Leo de volta ao lar, mais recuperado.

 "Sedução ao Amanhecer" fala sobre o amor de uma vida toda, continua retratando de forma encantadora uma família unida por laços de afeto, tudo com a escrita maravilhosa e divertida da Lisa Kleypas. Recomendo!

 Detalhes: 256 páginas, ano: 2013, ISBN-13: ISBN-13: 9788580411652Skoobleia um trecho. Onde comprar online: Submarino.

 Livros da série:
1 - Desejo à Meia-Noite (Amélia)
2 - Sedução Ao Amanhecer (Win)
2,5 - Casamento Hathaway (conto que pode ser baixado gratuitamente na Amazon)
3 - Tentação ao Pôr do Sol (Poppy)
4 - Manhã de Núpcias (Leo)
5 - Paixão ao Entardecer (Beatrix)


Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Primeiro vídeo do canal: Caixa de Correio - livros de janeiro de 2016

livros

 Olá pessoal, tudo bem? O post de hoje é muito especial: depois de anos, finalmente gravei o primeiro vídeo para o canal do blog! Eu sou uma pessoa muito tímida; ao longo desses mais de cinco anos como blogueira, o blog me ajudou muito a vencer um pouco a minha timidez, tanto que tem até uma foto minha ali na lateral (para vocês terem uma noção do quanto sou tímida, nem foto eu conseguia colocar no blog) e mais algumas em outros posts, alguns bem pessoais. Gravar vídeos e criar um canal para o blog era algo que eu queria muito conseguir, tanto que o canal já existe há mais de um ano, mas ainda não tinha nenhum vídeo.

 No domingo passado, acordei decidida a gravar o primeiro vídeo do canal, decidi mostrar os livros que recebi no último mês. Queria gravar no quarto do meu irmão, que tem uma iluminação melhor, mas ele resolveu dormir até mais tarde e tive que gravar em outro quarto. Minha câmera não quis gravar direito, então tive que usar a câmera frontal do meu celular, e o vídeo ficou "em pé", mas no próximo eu prometo colocar a câmera na horizontal.

 O que vocês vão assistir deve ter sido a minha décima tentativa, nas primeiras a minha voz nem saía direito, mas com a prática eu (acho) que fui melhorando. O vídeo ficou bem curtinho, apenas 3 minutinhos, e vocês não imaginam o trabalho que deu pra editar ele minimamente e colocar no YouTube (ou talvez, imaginem).

 Espero que tenha ficado bom, que vocês consigam me ouvir bem, que gostem de "me conhecer", que os barulhos dos vizinhos não atrapalhem... E, se tiverem gostado, cliquem em "gostei" e se inscrevam no canal. Aceito dicas e sugestões aí nos comentários, tá?!


 Sobre os livros citados:
 - Distopia, Kate Willians, Editora Arwenresenha.
 Sinopse: Em uma sociedade governada por militantes, com um sistema incorruptível, as crianças são isoladas no regimento militar aos sete anos de idade e treinadas para serem soldados. Lá, eles aprendem da forma mais cruel a atirar e a matar, perdendo muito cedo a sua inocência. Depois da Grande Guerra, o mundo passou a ser dividido entre governantes e governados e cada um tem as suas dores, suas mágoas e limitações. E o que nos resta saber é: de qual lado você está? Porque no final das contas, não estamos vestidos para lutar... Assim como nunca estaremos vestidos para morrer...



 - Sorria, você está sendo iluminado!, Felipe Guga, Galera Record, resenha
 Sinopse: Um convite ao leitor para visões de mundo mais profundas, ideias jovens e novas atitudes.
 Como descreveu o jornal O Globo, “foi um coração partido, esse amargo combustível, que empurrou Felipe Guga em direção a uma série de desenhos que fazem sucesso on-line” – já são quase 100 mil seguidores no Instagram.
 De Osho a Gandhi, de Jesus a Neil Young. O trabalho do artista se inspira em aforismos diversos, e as frases motivacionais se misturam a desenhos modernos e contestadores para espalhar luz, amor e gratidão.
Guga traz consigo o dom de acender a esperança nos corações dos que o seguem, mas também sabe adotar um tom provocador, daquele que nos tira da zona de conforto do dia a dia e faz pensar. Sua arte, exposta ao público, vai além do contemplativo.
 Um ótimo presente, para os queridos ou para si mesmo, este é um daqueles livros que provoca emoções e faz refletir sobre o poder da fé. Que traduz sentimentos em cores e nos faz sorrir, quando confrontados à iluminação da arte.


- Rainha dos Corações Congelados, Rebeca S. Melo, saiba mais sobre a Bookstart clicando aqui.
 Sinopse: Depois de tomar a decisão que muda sua vida para sempre, voltar atrás pode ser mais difícil do que seguir em frente...
 Em uma típica noite da agitada Nova Iorque, uma garota corre pelas ruas com o rosto banhado em lágrimas. Seu nome é Melinda e tudo o que ela deseja é um canto solitário para chorar. Com o coração partido, ela finalmente encontra um cantinho na Biblioteca Pública, onde um livro particularmente especial chama sua atenção. Sem saber o poder do que tem em mãos, ela acaba atraída por uma mancha em formato de fechadura nas páginas do livro. Quando volta a si, descobre que está na Terra dos Sem-Coração, um mundo congelado onde não há sentimentos.
 Para ficar ali, Melinda aceita ter seu coração arrancado pela Rainha. No entanto, a terra é envolta por mistérios e profecias, que podem estar diretamente relacionadas a ela e ao destino de todos que vivem ali. Ao lado de verdadeiras amizades e enfrentando seus piores medos, Melinda descobrirá que nem sempre fugir da dor é a melhor maneira de superá-la.


- Estudo Independente, Joelle Charbonneau, Única Editoraresenha.
 Sinopse: Cia Vale tem dezessete anos e tem tudo o que sempre sonhou: um amor perfeito, um lugar na universidade e um futuro como uma das líderes da Comunidade das Nações Unificadas. No entanto, apesar de todos os esforços do governo para apagar a memória de Cia, ela ainda lembra o que aconteceu. Ela precisa escolher entre ficar em silêncio e proteger a si mesmae as pessoas que ama ou expor o Teste e o que ele na verdade é, um programa assassino que deve ser impedido. O futuro da Comunidade depende dela.
 No segundo volume da saga de Joelle Charbonneau, a chance de fazer parte da revitalização de uma civilização pós-guerra colide com o desejo de fazer oque o coração manda.


Copos que andam, O enigma da fazenda
- Copos que andam, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho (pelo Espírito Antônio Carlos), Petit Editora.
 Sinopse: Antônio Carlos, neste romance, busca nos alertar por meio de seus personagens, extraídos da vida real, para o grande risco e perigo em que incorrem todos aqueles que, por intermédio de objetos tais como copos, pêndulos etc., acabam atraindo para si a atenção de espíritos inferiores, ignorantes e maus, a tal ponto de serem perseguidos e obsediados por eles, uma vez que seus fluidos são pesados e negativos. Bons espíritos jamais se prestam a tais brincadeiras ou invocações.
 Um tema fascinante, um alerta aos incautos, uma leitura obrigatória de conteúdo útil e verdadeiro. Um livro que todos devem ler e divulgar.

 - O Enigma da Fazenda, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, Petit Editora.
 Sinopse: Paula é uma garota diferente: ela vê e ouve os espíritos. De férias na Fazenda da Água Funda, ela é procurada por um espírito que pede para que o ajude a descobrir quem o assassinou e a evitar outro crime... Quem é o criminoso? Até quando o perigo vai rondar a Fazenda da Água Funda? O que se esconde por trás de tantos mistérios?


H Stern, Consuelo Dieguez

 - H Stern, Consuelo Dieguez, Editora Record.
 Sinopse: A jornalista Consuelo Dieguez resgata a história do fundador da H. Stern e a trajetória da joalheria no livro “H Stern, a história do homem e da empresa”. A autora percorre a infância de Hans Stern em Essen, na Alemanha, passa por sua chegada ao Rio ainda na adolescência na década de 30, até se debruçar sobre a criação e evolução da joalheria carioca, que completou 70 anos este ano.









Memórias de Ellie White, Daniel Almeida

 - Memórias de Ellie White, Daniel Almeida, Selo Jovem.
 Sinopse: Ellie White é apenas mais uma adolescente normal no mundo, que vive uma vida monótona e tediosa. Mas após sofrer um acidente e ficar com graves lesões que poderão ocasionar em sua morte ou perda total e/ou parcial de sua memória, conhece Tyler O’brien e os dois começam um relacionamento. Repleta de dúvidas e incertezas pede dicas para sua melhor amiga, Elizabeth, de como deveria aproveitar seus últimos dias, dicas que ela não usa, por achar que não se aplica aos seus costumes.
No entanto, Ellie começa a ter uma vida diferente por causa do seu relacionamento com Tyler, ela conhece novos lugares e passa por experiências magníficas que a fazem esquecer-se de seus problemas, mas as lesões ainda estão no interior do seu crânio. Sem um futuro definido, Ellie decide registrar todos os seus momentos felizes ao lado de Tyler, e somente o destino poderá definir o final dessa história.

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado. Me contem: já leram ou querem ler algum dos livros citados? E... vocês acham que eu tenho sotaque de mineira?

 - Participe do sorteio da Trilogia A Caverna Cristalina.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Lançamentos de fevereiro: Editora Selo Jovem

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho mostrar os lançamentos de fevereiro da Editora Selo Jovem:

O Portal de Oriun - Os filhos de Egoz
O Portal de Oriun - Os filhos de Egoz
de R$ 33,00
por R$ 23,99
ou R$ 22,79 no depósito

Edição: 1
Editora: Selo Jovem
ISBN: 978-85-66701-00-0
Ano: 2016
Páginas: 250
Papel Pólen 90Gr
Categoria: Fantasia/Literatura juvenil
Formato: 16 x 23 cm
Autor: Aldemir Alves


 Sinopse: O fim dos tempos é anunciado, o Ragnarök enfim teve início, o céu escurece e as estrelas sucumbem contra os planetas que são consumidos pela destruição. A fúria dos mares consome a vida na terra e os seres humanos são extintos. O Ragnarök destrói Alfheim que é engolida pelo Érebo, o equilíbrio entre os mundos é abalado. A árvore da vida, Yggdrasil, sucumbe em cinzas.

 Mas outros deuses sobreviveram das ruínas da batalha, um novo sol ressurgiu no céu, e Zeus (o deus grego), o pai dos homens, trouxe vida a uma nova terra que se ergueu entre os mares. Arin e Cesar, os dois únicos humanos sobreviventes, que se esconderam sob as raízes de Yggdrasil, a árvore que sustentava os nove mundos, repovoarão o mundo. Agora livre de seus males, finalmente houve um tempo de harmonia entre deuses e homens.

 A paz não duraria para sempre, pois se existe o bem também existe a possibilidade do ressurgimento do caos, o bem e o mal são forças fadadas a lutar pelo resto da existência divina. Um novo tirano se ergue entre as trevas, e com ele à sede pelo poder a qualquer preço. Alianças foram abaladas, vidas sacrificadas, batalhas travadas, a supremacia benéfica deixou de existir. A ganância de Zarc se alastrou infinitamente e até mesmo as crianças eram obrigadas a integrar os seus exércitos. A terceira parte de Orion havia sido devastada completamente. Mas após quinze anos de tormenta, a esperança ressurge novamente – renasce junto aos filhos de Egoz.


A escolha de Eron

A escolha de Eron
de R$ 35,00
por R$ 29,00
ou R$ 27,55 no depósito

Edição: 1
Editora: Selo Jovem
ISBN: 978-85-66701-49-4
Ano: 2015
Páginas: 260
Formato: 16 x 23 cm
Papel Pólen 80Gr
Autor: Ademilson Chaves


 Sinopse: Eron é um advogado em busca de trabalho e deseja apenas ter uma vida confortável com sua família.

 Em uma tarde chuvosa, quando retorna para casa com suas duas filhas, é obrigado a parar o carro na estrada deserta após se envolver em um acidente, ao descer do carro se depara com um homem armado que o obriga a escolher uma das meninas a ser raptada.
Eron se vê diante de uma escolha que mudará para sempre sua vida. Após esse evento ele e a polícia passam a procurar pelo paradeiro da filha, descobre com muita dor que não há vestígios e nem sinal do homem que a levou.

 Com a vida totalmente arruinada, doze anos depois, Eron conhece uma garota na rua que desperta nele uma nova vontade de viver e por quem se apaixona perdidamente, mas novamente se depara com um grande conflito, aquela poderia ser sua filha sequestrada. Inicia então uma busca implacável onde pistas e segredos do passado vão sendo desvendados e ele descobre que seu grande amigo de infância pode estar por trás do desaparecimento da sua menina.

 Uma história envolvente, uma trama de tirar o fôlego, um romance proibido, uma paixão avassaladora e um crime hediondo prenderão o leitor da primeira a última página.


Os Caminhos do Véu - A maldição de Baltazar

Os Caminhos do Véu - A maldição de Baltazar
de R$ 38,00
por R$ 29,99
ou R$ 28,49 no depósito

Edição: 1
Editora: Selo Jovem
ISBN: 978-85-66701-48-7
Ano: 2015
Páginas: 350
Papel Pólen 80Gr
Categoria: Fantasia
Formato: 16 x 23 cm
Autor: Dafne Dias - V. G. Waldelm
  

 Sinopse: Finalmente chegara o momento da batalha esperada: Ágata contra Baltazar. Por muito tempo ela estava se preparando para aquilo, e mais de uma vez analisara as chances que tinha de acabar derrotada.
Sim, talvez acontecesse...
Se fosse o caso, no fundo... Ela ao menos queria ver Scott uma última vez.

 Todas as opções haviam sido testadas: Amuletos de proteção, feitiços, exércitos, mudanças de identidades... Nada funcionou. Os séculos se passaram, mas a luta de Baltazar Zarco contra a família Cyrino parece interminável.

 Após ser perseguida por dezessete anos, Ágata Cyrino é uma sobrevivente a carregar o fardo da maldição de sua família. Mas cansada, quer lutar de igual para igual contra seu inimigo. Não quer mais ser uma caça, e sim, a caçadora.

 Em seu caminho Ágata fizera algumas alianças que lhe poderiam ser uteis no futuro, mas acima de qualquer outra, uma nova que mudaria o rumo de sua vida ao chegar a pequena cidade de Grande Oliveira: Scott Reidel, um garoto que como ela, tem habilidades sobre-humanas.

 Em sua busca para desvendar os segredos do mundo sobrenatural por ele pouco conhecido, Scott se vê preso em uma batalha maior que qualquer uma que jamais esperara ter de enfrentar. Juntos, tendo suas famílias e amigos em perigo, Ágata e Scott partem em um último golpe desesperado para derrotar o assassino imortal.


Garota Labirinto
Garota Labirinto
de R$ 33,00
por R$ 27,99
ou R$ 26,59 no depósito

Prefixo Editorial: 66701
Número ISBN: 978-85-66701-50-0
Autor: Frederico Lima
Título: Garota labirinto
Tipo de Suporte: PAPEL
Edição: 1
Editora: SLJ
Quantidade de páginas: 200
Categoria: Poesia/Romance

 Sinopse: Talvez não exista um labirinto mais difícil de percorrer do que aquele que existe dentro de nós mesmos. Sentimentos e mais sentimentos dentro de um coração que tenta, a todo custo, encontrar um sentido para tudo, mas que, quase sempre, não consegue. Por que amar dói tanto? Por que o destino fica brincando com os nossos sentimentos? Por que o cara “perfeito” demora tanto a chegar? Por que a gente não consegue ser totalmente feliz estando só? Por que a gente tenta, a todo custo, parecer forte, inabalável, inquebrável, se não somos nada disso? Por que encontrar o amor da nossa vida não significa, necessariamente, encontrar a felicidade? Se dói tanto, por que insistimos na dor? Estava na hora de alguém responder essas e outras perguntas mas, pelo mais incrível que pareça, será você mesma que responderá grande parte delas ao caminhar pelo labirinto das personagens deste livro. Garotas/mulheres que, às vezes, não conseguem entender seus próprios sentimentos, mas que não têm medo de buscar as respostas. Talvez você não encontre a saída (as respostas), mas, com certeza, irá aprender a percorrer o caminho do seu próprio labirinto.


 E aí, qual vocês acharam mais interessante? Eu gostei de todos!

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.